Educação especial e inclusiva: entenda a importância

A educação especial e inclusiva é um direito de todas as crianças com qualquer tipo de especialidade, entretanto a maioria das famílias sofre com a falta de preparo tanto das escolas, quanto da sociedade para proporcionar equanimidade às crianças e duas famílias. E, por mais incrível que pareça, as escolas particulares são as mais despreparadas neste quesito. Muitas até se negam a receber estas crianças, inventando desculpas ou afirmando não possuir mais vagas. Outras até são sinceras e abrem o jogo sobre a falta de preparo por parte da instituição. Mas, afinal, porque a educação inclusiva é tão importante para estas famílias? Venha comigo que vou te contar tudo!

O que é educação especial e inclusiva?

A educação especial e inclusiva nada mais é do que uma forma de garantir que crianças especiais tenham acesso à educação de forma justa e equânime. Isso ocorre através de planejamento e engajamento por parte de todas as pessoas e entidades envolvidas neste processo. Tudo começa pela família, que deseja oferecer ao seu familiar uma educação de qualidade e criar um ser mais autônomo possível. E este processo deveria seguir livremente com o engajamento de escolas, autoridades e profissionais. Porém nem sempre isso ocorre.

A educação especial e inclusiva serve para oferecer todas oportunidades que o estudante atípico precisa para aprender os conteúdos de forma efetiva. Para isso são necessários equipamentos adequados, material e planos de aulas adaptados e planejamento de atividades específicas para estas crianças. Tudo deve ser voltado para garantir que elas consigam acompanhar o que as outras crianças estão aprendendo.

Quais são os direitos das crianças especiais?

A legislação mais atualizada em relação à educação inclusiva é o Plano Nacional de Educação (PNE) – Lei 13005/2014, que tem vigência até 2024. Ele define metas a serem atingidas e diretrizes na área da educação e a meta 4 prevê inúmeras medidas para tornar a educação inclusiva uma realidade nas escolas brasileiras. Veja o que diz o texto inicial da desta meta:

META 4 – Universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, o acesso à educação básica e ao atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino, com a garantia de sistema educacional inclusivo, de salas de recursos multifuncionais, classes, escolas ou serviços especializados, públicos ou conveniados”

Como funciona no dia a dia das escolas?

Quando as famílias vão até as escolas para solicitar vagas para seus filhos, deveriam encontrar colégios bem preparados e de braços abertos para receber este ser que possui o mesmo direito que todos os demais de receber educação. Mas esse é um cenário um tanto quanto raro. Os profissionais as vezes até têm vontade de receber a criança e lhe ajudar em todo o possível, mas a falta de equipamentos adequados e adaptáveis dificulta o processo. Nas escolas privadas estes equipamentos não são adquiridos porque custam um preço alto! E, como as escolas visam o lucro, optam por não fazer as aquisições.

Outra questão bastante complicada na rede particular de ensino é a contratação do professor auxiliar, que serve para auxiliar o aluno a se adaptar melhor ao ambiente. Já na rede pública, é um pouco mais simples de conseguir este profissional. Nas escolas públicas a parte difícil são as burocracias que a família enfrenta para conseguir uma vaga e a longa espera. Além da falta de preparo dos professores titulares, pois a maioria ainda não possui qualificação adequada para atender essa demanda.

A importância da educação especial e inclusiva

É extremamente importante que toda criança tenha acesso a uma educação de qualidade! Faz parte do nosso dever como sociedade de cumprir esse dever, pois é só através da educação que podemos construir um mundo justo e saudável. A educação liberta e trás dignidade aos seres, por isso se um se uma pessoa não consegue ter acesso sozinha à uma educação de qualidade, é dever de toda a sociedade proporcionar as condições necessários para que ela ocorra!

Também é super muito importante para uma escola inclusiva que os demais alunos sejam orientados sobre o respeito que devem ter com seus colegas, independentemente da sua patologia. As crianças costumam tratar a diversidade de forma mais natural que os adultos, porém eles são curiosos e gostam de entender o que o colega tem. O papel do adulto é responder as dúvidas deles de forma natural e leve, sem criar neles um preconceito que eles naturalmente não possuem.